Off road em Belo Horizonte: onde praticar?

Off road em Belo Horizonte: onde praticar?

Belo Horizonte é a capital dos mineiros e conhecida nacionalmente como a terra do pão de queijo. Também é vista como uma “capital-cidade do interior”, graças a características de bairros antigos e residenciais. Mas é hora de mudar esse ponto de vista. Pelo menos no que diz respeito a opções de lazer e esportes. Vamos conhecer o lado off road em Belo Horizonte?

Uma vantagem que os moradores da capital das Minas Gerais tem em relação aos moradores de outras capitais é o fácil acesso a regiões não-urbanas. Sair de BH é, de fato, ir pra roça ou pro mato. Com poucos quilômetros você já está embrenhado em uma trilha ou subindo/descendo uma montanha.

Para os amantes dos esportes fora de estrada, isso é ótimo. É como ter o mundo off road em Belo Horizonte, sem precisar se afastar muito de casa. E, claro, os aventureiros aproveitam muito essa característica  que a cidade oferece, especialmente considerando a região metropolitana, que é composta por 57 municípios do entorno.

Neste artigo, separamos algumas opções muito legais para quem gosta de viver aventuras e não quer ir muito longe de casa. São modalidades para carro e para moto, passando por lugares que certamente você nem imagina. Vamos lá?

Off road em Belo Horizonte: vamos de jipe?

Saindo de BH em direção ao leste, já começamos a nossa aventura com uma das trilhas mais procuradas por aventureiros: a trilha dos túneis. Ela é composta por uma série de túneis que ligam a capital à cidade de Sabará. Foram construídos nas décadas de 1960 e 1970 para a ampliação de rodovias e também para estradas de ferro. Como estas rotas nunca saíram do papel, estes túneis ficaram inativos e abandonados.

Quer dizer… abandonados nada! São muito bem aproveitados por jipeiros, principalmente moradores de Belo Horizonte, que conhecem bem o trajeto e adoram passar pelas construções alternando momentos de luz natural e escuridão. Ao todo, a trilha tem cerca de 12 quilômetros e liga a região leste da capital à zona rural de Sabará, já próximo à saída para Caeté.

Logo na sequência, os pilotos e navegadores encontram a trilha do Ovo Cozido, também na cidade de Sabará. Cheia de morros bastante íngremes. O terreno é complicado, cheio de valas e formado por muito minério de ferro, o que torna a trilha um bocado escorregadia.

Subindo pela serra do Taquaril, também na zona leste de Belo Horizonte, você chega à trilha do Batman. São cerca de 20 quilômetros de aventuras num terreno bastante pedregoso e que oferece muitas inclinações desafiadoras para quem vai atravessar de jipe. Já para os motoqueiros, a aventura é garantida com a possibilidade de realizar saltos e passar por obstáculos bem difíceis.

Os jipeiros também encontram opções no lado oposto, na saída sudoeste de Belo Horizonte. A Serra do Itatiaiuçu e as cidades de Brumadinho e Itaguara oferecem muita adrenalina com trilhas que cortam morros de terra roxa e pedras, fazendas e córregos. Até o clima é diferente nesta região, com temperaturas ligeiramente mais amenas do que dentro da capital.

Partiu motocar!

Se a sua praia é andar de moto, não se aflija: há muitas opções off road em Belo Horizonte para você também. Aliás, opções muito interessantes, que literalmente dão a volta pela cidade e permitem ter uma visão panorâmica quase completa da bela capital de Minas.

Vamos começar com uma trilha que é curtinha, pouco conhecida e vale à pena, principalmente para os iniciantes, é a trilha dos Bandeirantes. Ela percorre a Serra do Curral, no extremo sul da cidade, começando próximo ao parque JK e seguindo por aproximadamente 10 quilômetros até chegar ao bairro Belvedere. A dificuldade é baixa e a vista, em alguns pontos, é deslumbrante!

Seguindo acima, na saída para Nova Lima, encontramos a Trilha Perdida. Ela começa próximo ao trevo das seis pistas, na rodovia que liga a cidade à capital e tem um percurso de 12 quilômetros em direção à comunidade de Macacos, no município de Rio Acima. O nível de dificuldade é mediano e a trilha também é utilizada pela galera das bikes, que pedala na região treinando para competições.

Ainda na região sul de Belo Horizonte, mas agora virando a Leste, as trilhas chegam ao município de Raposos, onde existem duas rotas muito conhecidas por quem pratica off road em Belo Horizonte. A primeira, é a trilha da Canaleta. Ela começa bem na divida de Nova Lima e Raposos, às margens do Rio das Velhas. Com uma subida de aproximadamente 250 metros durante o percurso e uma descida em direção ao centro de Raposos, a trilha termina em uma vila, com um bar que já é um tradicional ponto de encontro dos trilheiros.

A segunda trilha leva de volta a Nova Lima, começando a um ponto próximo de 1000 metros de altitude. O percurso é bastante técnico, num terreno arenoso e com muitas pedras soltas. As motos precisam ter cuidado dobrado para não escorregarem ou saltarem entre as valas mais fundas. Com cerca de 15 quilômetros, a trilha é uma opção certa para quem busca aventura.

Virando a página, travessamos a BR 040 e saímos de Nova Lima para chegar a Belo Vale. Ali encontra-se uma das mais belas paisagens de Minas, chamada de Topo do Mundo. A região fica bem às margens da BR, sentido sul e percorre 12 quilômetros no alto da Serra da Moeda, a uma altitude média de 1500 metros. A maior dificuldade encontrada pelos motoqueiros é manter o equilíbrio nas trilhas estreitas e cheias de minério de ferro. A recompensa é uma vista deslumbrante, que alcança mais de 20 cidades e povoados.

Do Paraopeba ao Cipó

Depois de curtir uma parada em Moeda Velha, hora de continuar a rota do off road em Belo Horizonte. Agora, seguimos a norte, passando pelo Vale do Paraopeba. A mais longa trilha desta nossa jornada tem em torno de 65 quilômetros e vai de Moeda até Juatuba, na saída sudoeste da capital mineira.

No percurso, o trilheiro vai passar por fazendas de frutas, plantações de eucalipto, atravessar córregos afluentes do Rio Paraopeba e, claro, subir e descer morros pedregosos. O nível de dificuldade é médio-baixo. O que mais extenua os aventureiros é a longa distância. Mas, pra quem se sentir cansado, dá pra pegar as estradas vicinais em bom estado e levantar poeira sem muito esforço.

Chegando a Juatuba, vamos continuar nosso contorno pela capital. O objetivo, agora, é chegar até a Serra do Cipó. Para isso, escolhemos uma trilha bastante conhecida pelos moradores locais, a Trilha dos Bandeirantes. Nela, seguimos em direção a Esmeraldas, num circuito de dificuldade média por aproximadamente 25 quilômetros. A trilha faz parte do roteiro turístico chamado Circuito Verde.

A Trilha dos Bandeirantes é relativamente mais tranquila, com um trajeto que passa por menos terrenos pedregosos e mais saibro.

Em Esmeraldas, seguimos viagem para Ribeirão das Neves, ainda na Trilha dos Bandeirantes, seguindo o Circuito Verde. Neste etapa, serão mais 30 quilômetros, passando por pequenas fazendas, áreas semi-urbanizadas e uma região de terra calcária, esbranquiçada e mais seca, com vegetação quase sempre rasteira.

 De Ribeirão das Neves, seguimos nosso roteiro de off road em Belo Horizonte rumo ao município de Pedro Leopoldo, terra do cimento. A dificuldade da trilha é baixa e o percurso já é bastante conhecido por pilotos profissionais, que costumam treinar na região, e amadores, que aproveitam os finais de semana para esticar numa viagem um pouco mais longa. Pedro Leopoldo fica a pouco mais de 45 quilômetros de Ribeirão das Neves e a 80 de BH.

Chegando a Pedro Leopoldo, continuamos a nordeste, seguindo para a cidade de Confins e, em seguida, Lagoa Santa, passando por dentro do Parque Estadual do Sumidouro. Ao todo, são 35 quilômetros de mata fechada, com arbustos típicos de cerrado. A trilha passa às margens do aeroporto internacional de Confins, que atende toda a região metropolitana da capital.

Entre a cidade de Lagoa Santa a Jaboticatubas, distrito de Santa Luzia, a trilha é chamada de Sete Rios e tem uma parte mais plana, por onde o trilheiro vai, de fato, cruzar por alguns riachos e córregos e enfrentará uma subida leve até chegar ao distrito. Este percurso tem uma distância média de 30 quilômetros e já chega bem próximo à entrada do Parque da Serra do Cipó.

Dentro do parque, encontra-se a trilha da Serra do Cipó, com percursos variados que podem ir de 15 até pouco mais de 80 quilômetros. A dificuldade, em geral, é baixa. Na maior parte das vezes, o motoqueiro irá lidar com descidas pouco íngremes e com uma vegetação baixa ou rasteira. A nossa sugestão é seguir em direção sudeste, rumo ao centro de Santa Luzia.

Da cidade histórica, seguiremos pra última etapa do circuito off road em Belo Horizonte, começando na também histórica cidade de Caeté.

Serra da Piedade

A última parada da nossa rota do off road em Belo Horizonte, a Serra da Piedade é um dos patrimônios mais importantes de todo o estado. Do alto dos seus 1746 metros em relação ao nível do mar, avistam-se mais de 40 municípios e povoados ao redor, inclusive Belo Horizonte.

O percurso selecionado é a Trilha da Piedade, também chamada de Matinha dos Ingleses. O percurso é traiçoeiro, passando pela serra encrustada nas pedras e com descidas fortes. Outra dificuldade é a vegetação de mata fechada, que obriga o trilheiro a ter mais cuidado ao escolher as melhores rotas.

A recompensa fica por conta dos quatro pontilhões pelos quais as motocas passam durante o trajeto. A vista é realmente deslumbrante, no meio da mata. A chegada é em Sabará, onde a gente começou este passeio na trilha dos túneis.

Off road em Belo Horizonte: uma fartura de opções

Como vimos, Belo Horizonte é uma cidade que está longe de ser pacata. Pelo menos para quem curte esportes off road. De jipe ou de moto, existem opções para todos, desde os iniciantes até os profissionais.

Neste artigo, listamos algumas das trilhas mais conhecidas e utilizadas no entorno da capital, passando por todas as suas fronteiras, saindo de Sabará, passando por Nova Lima e Rio Acima, descendo até Belo Vale, Moeda, Brumadinho, Juatuba, Esmeraldas, Ribeirão das Neves, Pedro Leopoldo, Confins, Lagoa Santa, Santa Luzia, passando pelo distrito de Jaboticatubas, Conceição do Mato Dentro, onde se situa o Parque da Serra do Cipó e, finalmente, partindo da Serra da Piedade, em Caeté e finalizando, novamente, em Sabará.

Ao todo, o circuito percorrerá uma média de 350 quilômetros e enfrenta desde subidas e descidas em terrenos de saibro até as dificuldades mais agudas entre espinhaços de pedras e áreas cobertas de minério. Ou seja: você tem um resumo de várias geografias mineiras a poucos quilômetros de Belo Horizonte.

Conclusão

Belo Horizonte é uma cidade que mistura o agito de uma capital com a tranquilidade de uma cidade interiorana. A cidade, geograficamente falando, já tomou todos os seus limites, conurbando-se com os municípios vizinhos e criando uma região metropolitana forte e bastante densa.

No meio de tudo isso, há espaço para os aventureiros, que gostam de fazer valer as suas raízes caipiras e partem para a estrada, ou melhor: para o fora-de-estrada. Praticar off road em Belo Horizonte é bastante viável e diversificado. Além de todas as dicas que listamos neste artigo, BH sedia vários campeonatos locais e regionais de trilha, enduro, motocross e gaiolas de barródromo.

Bem pertinho de Belo Horizonte, a apenas 76 quilômetros da capital, fica a cidade de Itaúna, que se consolidou como um importante centro de esportes off road nas últimas décadas. Junto com este desenvolvimento, nasceu uma das mais importantes lojas especializadas em off road de Minas, a Balasso Moto Sport.

A Balasso nasceu a partir da necessidade e da paixão de um trilheiro, que participava de competições em todo o país e precisava formar uma equipe de alta performance para cuidar de seus equipamentos e de suas motos.

Assim, Balasso tomou a decisão de se formar em Engenharia Mecânica e abrir a sua própria oficina que, posteriormente, agregou uma loja completa e multimarcas. Ao longo dos últimos 20 anos, a empresa cresceu, embasada na qualidade do atendimento e na variedade de produtos e serviços.

Atualmente, a Balasso Moto Sport é patrocinadora oficial de campeonatos de enduro e motocross, além de ser apoiadora de atletas profissionais que competem em diversas modalidades. Aos poucos, a Balasso se tornou referência entre os pilotos profissionais, que buscam os serviços especializados e também entre os amadores, que querem adquirir suas primeiras motos e iniciar no mundo off road.

A Balasso contribuiu diretamente com a popularização e o desenvolvimento dos esportes dora-de-estrada na região central de Minas, fortalecendo o cenário local e fomentando a profissionalização dos novos talentos. Hoje, a empresa atende clientes de várias partes do país, que buscam por produtos importados e nacionais de qualidade, além do atendimento especializado e personalizado.Você pode conhecer um pouco mais sobre a Balasso Moto Sport clicando aqui. Aproveite para conhecer Itaúna e toda a região, além de pegar aquela trilha esperta! Aproveite, também, este roteiro de trilhas incríveis que existem em volta de Belo Horizonte para se divertir com os amigos e a família. Depois, monte o seu próprio roteiro, afinal ser off road é ser livre! Até a próxima!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *