Motos para off road: quais são os melhores modelos?

Motos para off road: quais são os melhores modelos?

Começar um novo esporte é sempre bom. Se for um fora-de-estrada então, melhor ainda. Mas como escolher a moto para off road mais adequada? E para quem já está nas trilhas e pistas há mais tempo, como escolher uma nova máquina para dar aquele upgrade?

Neste artigo, vamos listar as melhores opções, separando em iniciantes e veteranos, para que você possa eleger a moto para off road que mais te agradar. Para isso, vamos levar em consideração alguns critérios muito importantes:

  • potência (cilindrada);
  • tamanho dos aros de rodas;
  • dirigibilidade;
  • custo-benefício;
  • avaliação dos especialistas;
  • avaliação de quem tem ou já teve.

Vamos falar especificamente dos modelos vendidos no Brasil, desconsiderando as motos importadas, que não são encontradas nas lojas daqui. E já adiantamos que se você está pensando em motos grandes, de marcas internacionais, você terá belas surpresas neste ranking que preparamos.

Então embarque com a gente e vem conferir esta avaliação. Bom passeio!

Motos para off road: quais são os melhores modelos?

Motos para off road para iniciantes

1 – Linha Honda CRF

Indicada para quem está realmente começando no off road, as motos da linha CRF da Honda são estão no topo da nossa lista por várias razões.

A 110F, por exemplo, foi pensada para a garotada dos oito aos 11 anos e possui algumas características interessantes: aros pequenos, motor de 110 cilindradas de dois tempos, agilidade e bom raio de curva. Ela também é uma das que tem a menor altura em relação ao solo, o que confere muito mais estabilidade.

Já os marmanjos que já passaram dos 18 mas não são muito altos, a CRF 150F é uma a melhor opção, seguindo nossos critérios de avaliação. Isso porque, igualmente à sua irmã menor, a 150F oferece uma estrutura que facilita a pilotagem: rodas menores, baixa altura em relação ao solo e é mais leve e estreita. Neste caso, o motor já é um quatro tempos, assim como as motos para off road mais modernas, além da partida elétrica.

Os mesmos mimos estão presente na segunda moto mais potente dessa linha da Honda, a CRF 230F, que é ótima para os iniciantes que já pilotavam motos urbanas mais altas, como a Broz ou a XRE, por exemplo. Apesar de maior e mais robusta, a simplicidade na montagem destas motos mantém a Honda à frente das demais, inclusive no custo da manutenção.

A diferença entre esta e a CRF 150F é apenas a potência entregue pelo motor e o tamanho dos aros, o que acaba interferindo, também, na altura ante o solo. Mas nada que comprometa a direção. A CRF é a linha de motos para off road que possui o centro de massa mais baixo, entre as marcas nacionais, o que garante o equilíbrio e a estabilidade até nas manobras mais difíceis.

2 – Linhas Yamaha YZ e WR

Também partem do princípio de que o iniciante já tinha alguma experiência em pilotagem de motos mais altas, de uso urbano ou misto, como a XTZ. A Yamaha, ao contrário da Honda, preferiu fazer duas linhas de motos para off road com características semelhantes, porém com acertos diferentes. Uma é específica para motocross e a outra, para enduro e rali.

Vamos começar pela YZ, voltada para o cross, com pistas e obstáculos definidos. Ela vem em três diferentes motorizações. A YZ 125 é semelhante à Honda 110F: voltada para as crianças e jovens que estão entrando no circuito off road. Ela, no entanto, é mais alta e tem os aros maiores do que as motos de entrada da Honda e da Kawasaki e, por isso, exige mais treino.

Logo acima, a marca já parte para a YZ 250. Muito mais robusta, com um excelente sistema de entrega de potência, que permite uma pilotagem mais suave, ela também possui as mesmas tecnologias, como a partida elétrica e motor quatro tempos. A irmã maior, YZ 450 será vista na lista dos veteranos, pois ela já ultrapassa a categoria de iniciantes.

A segunda linha de motos para off road da Yamaha é a WR, cuja montagem foi projetada para ter mais resistência e durabilidade para provas mais longas, como trilhas de enduro ou rali. É importante destacar que ambas as linhas foram desenhadas totalmente com foco em competições e, por isso, são motos que exigem um pouco mais de habilidade.

A família Yamaha WR parte já na 250 cilindradas, não tendo uma outra versão menor para os adolescentes. A outra, é a WR450, que certamente requer uma pilotagem profissional. Aqui, neste ranking, colocamos a WR250 em segundo lugar apenas por causa destes dois critérios: custo de manutenção e maior nível de exigência de quem está começando.

3 – Yamaha TT-R

Fechamos o nosso pódio das motos para off road para iniciantes com mais uma Yamaha, a linha TT-R. Colocamos ela à parte das outras justamente por ser a mais versátil, que não foi desenhada exclusivamente para um ou outro tipo de competição (motocross ou enduro). Ao contrário, a linha TT-R foi pensada em diversão.

Mas ela ficou no terceiro lugar porque é, entre as quatro famílias, a mais difícil de pilotar. Ela é um pouco mais larga e mais pesada do que a Honda e a YZ. Por isso, para quem está começando na aventura fora-de-estrada, pode ser mais complicado se equilibrar nos primeiros quilômetros.

Em termos de motor, nada de novidades: as motocas são quatro tempos, com 125 ou 230 cilindradas. A montagem, assim como as motos da Honda, é feita em Manaus, o que garante um ótimo preço de compra e menor depreciação ao longo do tempo. A manutenção também é menos complexa do que as linhas YZ e WR, mas ainda são ligeiramente mais caras do que as motos da Honda, que tem mais peças compatíveis entre si.

Motos para off road: quais são os melhores modelos?

Motos para off road para veteranos

Se for para deixar a brincadeira mais séria, vamos tirar os meninos e meninas da pista e trazer os homens e as mulheres de verdade. Para quem já tem algum tempo de estrada, selecionamos outros três modelos e, dentre eles, apenas uma marca de fora, que apesar de não ser totalmente fabricada no país, já possui uma extensa rede de atendimento.

1 – Kawasaki KX 450-R

Colocamos a japonesa envenenada no topo do ranking por um motivo: a diferença de preço entre ela e as nacionais é relativamente baixa, mas ela tem muito mais tecnologia. Por isso, vale à pena se divertir com uma dessas.

Em 2016, a Kawasaki já tinha feito uma lipo na sua linha KX, deixando-a, em média, 30kg mais leve. Em 2019, as melhorias foram ainda mais longe. A embreagem é hidráulica, mas o sistema de transmissão foi aperfeiçoado e permite trocas de marcha muito mais rápidas e suaves.

Isso permite que o piloto jogue toda a força do motor nas acelerações sem levar aquele tranco que as motos mais potentes dão. De quebra, quem estiver na garupa vai ter muito mais confiança no equipamento, pois não sofrerá com derrapagens nas retomadas de aceleração.

A corrente da KX 450-R é selada, o que evita a formação de sujeira e dá mais tempo de vida útil para as engrenagens, além de garantir sempre um desempenho limpo. E o novo chassi, totalmente remodelado, colocou a KX no alto da lista das motos para off road mais leves, dentro da sua categoria.

Completando o pacote, a máquina tem motor de 4 válvulas, com injeção eletrônica, partida elétrica e ignição com sistema eletrônico e refrigeração a líquido. Mudanças no escapamento e na relação de marchas fizeram a KX 450-R ganhar ainda mais velocidade, inclusive nas retomadas de aceleração e mudanças de direção.

2 – Honda CRF 450-R

A Honda também se mexeu e conferiu novidades a seus modelos fora de estrada, em 2019. Ela poderia ter ficado em primeiro lugar no nosso pódio. Na verdade, podemos até considerar um empate técnico, pois a diferença dela para a Kawasaki KX é bem pequena.

O motor é bem semelhante, com 450 cilindradas, ótima potência nas altas rotações e também nas baixas, com a remodelagem do escapamento, que agora é duplo e ajuda na manutenção do centro de gravidade. Ambas as motos são quatro tempos, como injeção eletrônica e sistema de arrefecimento a líquido.

A Kawasaki possui uma personalização do sistema ECU em três níveis, já a Honda personaliza em dois, mas não fica devendo em nada, neste quesito. O pouco peso a mais do chassi Honda, na verdade, pode ser uma vantagem, pois aliado ao baixo centro de gravidade, dá mais equilíbrio e estabilidade para a moto, como um todo.

Ambas também tem controle de largada, para evitar trancos no arranque e derrapadas desnecessárias e freios a disco, suspensão traseira com ajustes de dureza para altas e baixas velocidades e, claro, partida elétrica.

Aquele 0,01 ponto que deixa a Kawasaki no topo está somente nas facilidades eletrônicas, que são legais de se mexer de acordo com o tamanho e o peso do piloto. Desta forma, a moto se ajusta ao conjunto máquina-homem e mantém a boa performance exigindo menos esforço do piloto. Mas calma: isso não significa que a Honda seja pior. Como disse, é um empate técnico.

3 – Yamaha YZ e WR 450-F

Vamos colocar as duas irmãs gêmeas da Yamaha na terceira posição do ranking mas, novamente, não é por nenhum demérito, mas apenas por meros detalhes.

As linhas YZ e WR 450 compartilham praticamente tudo: motor, sistemas de ignição e injeção eletrônica, freios, controles eletrônicos e suspensão. O que as difere é, basicamente, o nível de rigidez e torção do chassi e a calibragem da suspensão.

As famílias 2019 da Yamaha trazem um plus que pode ser muito interessante: a conexão das motos com o aplicativo para smartphone Power Turner. Nele é possível ter acesso a todas as informações sobre a moto em tempo real.

É possível, por exemplo, ver a temperatura, o tacômetro e até a abertura do acelerador. Também dá pra ajustar a sua moto na palma da mão, controlando admissão e mistura e criando vários mapas de injeção podendo, inclusive, salvar dois para utilizar nas corridas e alterná-los a partir de um botão no próprio guidão.

Em termos de motor, estamos falando, novamente, de uma quatro cilindros, de 450 cilindradas, com ótima potência nas altas e baixas rotações. Os discos de freio também são a disco e o resfriamento do motor é líquido.

O ponto que deixa a Yamaha um pouquinho pra trás é que suas motos são mais pesadas e ligeiramente mais largas. Por isso, pilotos de menor estatura tendem a ter uma dificuldade de adaptação. Se você for mais alto ou tiver pernas mais longas, isso não será nenhum problema.

Uma outra vantagem, no entanto, é o tanque de 7,2 litros de capacidade, um litro a mais, em média, do que as motos das outras marcas. A diferença, em termos de peso, não é significativa, mas em termos de quilometragem, pode ser importante numa situação de emergência.

Motos para off road: quais são os melhores modelos?

Teste, goste e escolha

Escolher uma moto para off road não é simples. Para elaborarmos este ranking, escolhemos critérios bem específicos e, mesmo assim, tivemos muitas dúvidas. No pódio dos veteranos, Honda e Kawasaki empatam em praticamente tudo. Uma sutileza em termos eletrônicos é que deu a vitória para a marca ninja.

Já a Yamaha só ficou em terceiro por causa do tamanho e do peso, que são um pouco maiores do que as demais. Em termos de potência e qualidade, também fica no mesmo nível das suas concorrentes. E pra quem curte tecnologias, o app Power Turner, da Yamaha, é bem legal de mexer.

Por isso, o ideal é que você procure uma loja como a Balasso, que tem uma boa variedade de marcas e modelos. Lá você poderá sentar, verificar a posição de pilotagem, conhecer sobre a potência, velocidade, parte eletrônica entre outros detalhes.

Escolha a moto que você realmente gostar. Ela será a sua companheira para suas aventuras e você precisará confiar nela em todos os momentos. Siga as nossas dicas para reduzir as suas opções de seleção e facilitar a decisão.

Se você é iniciante, cuidado com as motos mais potentes. Elas podem te dar a impressão de serem melhores em tudo e isso não é verdade. Elas são mais potentes e velozes e é preciso mais técnica e tempo de estrada para domar as feras no braço. Comece com as menores, que você poderá acelerar tudo sem medo de ser lançado pro alto.

Conclusão

Fizemos uma árdua seleção entre vários e vários modelos de motos off road para você escolher. Temos certeza de que várias motos preferidas por muita gente acabaram de fora. As KTM, as Suzuki e as Mormaii, por exemplo. Todas tem seus pontos positivos e negativos. Mas para nós, elas ficam devendo no custo-benefício, pois não são facilmente encontradas em todo o país.

Por isso, focamos nas três motos para off road para iniciante e para veteranos que aliam as melhores tecnologias, os melhores motores e os melhores custos de compra, revenda e manutenção. Ainda assim, não temos uma única favorita, especialmente nas motos maiores.

A briga é muito boa e quem sai ganhando é o amante da aventura, que pode contar com equipamentos cada dia melhores. Se você já é piloto ou está pensando em começar no esporte, conte, também, com o apoio da Balasso Off Road.A loja foi criada e é gerenciada por quem entende do assunto, além de oferecer as melhores marcas de motos, equipamentos e acessórios. Conheça um pouco mais da Balasso clicando aqui. Até a próxima!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *