Por que praticar esportes radicais como hobby te faz feliz?

Por que praticar esportes radicais como hobby te faz feliz?

Realização. Esta é a palavra que mais define o sentimento de quem costuma praticar esportes radicais como hobby. Mas para explicar porque a simples atividade fora de casa pode se tornar tão importante, vamos explicar, neste artigo, alguns conceitos importantes e depois vamos falar de alguns destes esportes que tem mudado a vida de tantas pessoas.

O que é um hobby

Podemos dizer que um hobby é tudo aquilo que se faz, dentro de uma rotina, por puro e simples prazer, gosto. Ou seja: qualquer atividade que você faça com frequência e que não tem nenhum interesse além da diversão é um hobby.

Então qualquer coisa que eu faça além do meu trabalho ou estudo é um hobby? Assistir uns filmes é um hobby? Pescar algumas vezes no ano é um hobby? Não. Essas atividades esporádicas, que a gente faz só de vez em quando e que não fazem parte do nosso dia-a-dia não são consideradas como hobby.

Para ser chamado de hobby, é necessário que haja uma frequência, uma constância na atividade e um mínimo comprometimento, seja de tempo ou investimento. Colecionar coisas, por exemplo, é um hobby. Jogar futebol uma ou duas vezes por semana também. Construir coisas de artesanato ou pintar não profissionalmente, escrever… enfim: tudo aquilo que a gente dedica um pedaço do nosso dia e uma parte do nosso esforço pelo mero prazer de fazer, é hobby.

Praticar esportes como hobby

Falamos do futebol, mas poderíamos ter mencionado qualquer outro esporte que não seja praticado de forma profissional, mas que tenha uma constância, uma regularidade. Natação, para muitos, é uma necessidade fisiológica, um aprimoramento físico. Portanto, não é necessariamente uma atividade exercida por prazer. Para outros, entretanto, nadar é algo prazeroso, que dá vontade de fazer, mesmo que não se esteja pensando em benefícios físicos, para saúde ou alcançar uma performance profissional

Estes sim estarão nadando por hobby. Igualmente, há muitas pessoas que fazem caminhada, jogam peteca, tênis, xadrez (que é um ótimo esporte para a mente) entre outros. No caso dos esportes radicais, a ideia é exatamente a mesma: não é por dinheiro, premiações, troféus. É pelo prazer. E, em alguns casos, pelo contato com a natureza.

Por que praticar esportes radicais como hobby te faz feliz?

Começando nos esportes radicais

Ter um hobby não é uma coisa para velhos, como muitos dizem. Ao contrário, na verdade a maioria dos hobbies começa cedo. Qual criança que não gosta de colecionar alguma coisa, sejam brinquedos ou um álbum de figurinhas? Pois é justamente na infância que os hábitos de fazer coisas por diversão se formam.

Depois de mais velhos, mudam-se apenas os brinquedos. Saem os bonecos, os carrinhos, às casinhas e entram os jipes, as motos, as pranchas de surf. O que há em comum entre os hobbies da infância e da fase adulta é que em ambos é necessário começar.

No caso de praticar esportes radicais, o começo nem sempre é fácil. Equilibrar-se numa prancha, subir uma trilha a pé ou de moto, passar por vales com jipes. Tudo isso, normalmente, requer a ajuda de um profissional, um instrutor que irá repassar as técnicas necessárias para o desempenho nestes esportes.

Além disso, é sempre importante levar em consideração o item segurança. Adquirir e utilizar todos os equipamentos de proteção é essencial. Como já dissemos em outros artigos, não escolha apenas pelo preço. Baseie-se na qualidade dos materiais e na ergonomia, que é o formato mais adequado para o seu corpo.

Depois de checar os equipamentos e seguir as instruções do profissional, aí sim é hora de se dedicar ao hobby: escolher os melhores cenários, juntar a família e os amigos e se divertir.

Esportes radicais como empoderamento feminino

Por muitos anos, as mulheres foram colocadas como inferiores aos homens em muitos esportes, inclusive os de aventura. Eram pouquíssimas praticantes, que geralmente se concentravam em atividades como o trekking ou o rapel.

Praticar esportes radicais se tornou, ao longo dos anos, uma forma de empoderamento feminino, um jeito de se posicionar perante a sociedade e mostrar que as mulheres são, sim, capazes de realizar com eficiência todas as atividades que antes eram dominadas pelos homens.

Assim, surgiram várias personalidades femininas nos esportes de ação no Brasil. Com as mulheres, conquistamos reconhecimento mundial no surf de ondas gigantes, no bodyboard e em vários outras modalidades.

Hoje, é bastante comum vermos grupos apenas de mulheres fazendo trilhas de mountain bike, por exemplo, ou liderando grupos mistos, junto com outras mulheres e homens. Também vemos com mais frequência lutadoras, saltadoras de paraquedas, motoqueiras e mulheres em outros esportes.

Este novo cenário tem mostrado que o lugar da mulher não é dentro de casa, apenas cuidando de sua família, mas onde ela quiser, inclusive vivendo a adrenalina e a liberdade que os esportes de aventura proporcionam, seja de forma profissional, como atletas, ou apenas pelo prazer, como hobby.

Por que praticar esportes radicais como hobby te faz feliz?

Aumento da qualidade de vida

Vários estudos científicos, inclusive alguns apoiados pela OMS – Organização Mundial da Saúde, tem apontado na direção da melhora na qualidade de vida das pessoas que costumam praticar esportes radicais ou em contato com a natureza.

Cientistas de vários países estão encontrando ligações entre o aumento considerável dos níveis de saúde e elevação da autoestima dessas pessoas. Alguns casos relatam, até mesmo, o controle ou a cura de algumas doenças.

Independente dos resultados que estes estudos podem oferecer, são notáveis os benefícios que os esportes de aventura promovem nas vidas das pessoas. A melhora na capacidade cardiovascular, a eliminação dos quadros de estresse, a reversão do mau-humor, o fim das crises de ansiedade e pânico, o emagrecimento saudável são apenas alguns dos pontos positivos que os esportes outdoor podem promover.

Além destes atributos físicos, estas atividades também contribuem para o aprimoramento de habilidades sociais, como a cooperação, o convívio e o compartilhamento; a melhora nas capacidades mentais, como concentração, memorização e orientação espacial; aprimoramento das habilidades motoras, como o equilíbrio, o controle dos movimentos das mãos e pés.

Outro ponto importante, é que estes esportes geralmente são praticados longe de casa. Por isso, permitem conhecer sempre lugares diferentes. O contato direto com a natureza também favorece o despertar de olhares mais favoráveis à preservação e conservação do meio-ambiente.

Todos estes fatores, em conjunto, são promotores da qualidade de vida e influenciam no bem estar de toda a família. Em geral, mesmo que apenas um membro seja o praticante de alguma atividade de aventura, é normal que todo o núcleo familiar se envolva, seja no apoio material, no incentivo ou até mesmo auxiliando na manutenção dos equipamentos.

Esportes off road como hobby

O Brasil é um país privilegiado para os amantes do off road. Com uma geografia complexa, que contempla praticamente todos os tipos de relevos e vegetações, há espaço para quem busca todos os tipos de aventuras.

Ao todo, são mais de sete mil quilômetros de litoral, que vão de norte a sul do país. Regiões áridas e de dunas também existem. Chapadas, falésias e despenhadeiros fazem parte do nosso território. Mares de morros também. E temos, ainda, uma boa parte de florestas e regiões pantaneiras.

Essa é uma das características que mais incentivam os brasileiros a praticar esportes radicais off road, especialmente o motocross e o enduro, ou jipismo. Os motoqueiros e jipeiros se movem em busca da superação de obstáculos naturais, transpondo as dificuldades impostas aos caminhos menos convencionais para se chegar a destinos tampouco usuais.

Nas cidades do interior, já mais afastado dos grandes centros urbanos, tem crescido bastante o número de praticantes do motocross e das trilhas com jipes e utilitários. O maior acesso a máquinas e equipamentos de qualidade é um dos motivos deste crescimento. Outro fator importante é a presença dos eventos promovidos por grandes empresas, que percorrem estas cidades pequenas e médias com a divulgação tanto dos produtos, como dos esportes off road.

Por que praticar esportes radicais como hobby te faz feliz?

Praticar esportes off road como hobby

Nem todos precisam se tornar profissionais, quando praticam algum esporte. O mesmo acontece com o off road. Longe de competições, não há troféus, medalhas, pódios ou comemorações por vitórias.

O mais importante, para os amantes das modalidades fora-de-estrada, é a convivência e a superação dos próprios limites. Não existem adversários entre motoqueiros e também entre jipeiros. São todos parte de uma mesma equipe e esta sensação de pertencimento é muito importante para o desenvolvimento e também para o crescimento dos esportes.

Quem parte para as trilhas, normalmente, busca enfrentar os medos, vencer a ansiedade e conquistar a autoconfiança. E tudo isso fica ainda mais fácil quando ao redor estão outras pessoas acreditando no seu esforço e incentivando as suas tentativas.

Por isso, é muito comum ver pilotos comemorando quando outros acertam as manobras ou conseguem sobrepor os obstáculos, mesmo quando há algum tipo de competição amadora. Entre os mais jovens, o comportamento é ainda mais evidente. É normal ver garotos e garotas se ajudando, oferecendo dicas, auxiliando na montagem ou na manutenção das motos, dos quadriciclos ou outros veículos utilizados.

E quando isso se torna parte da rotina de vida das pessoas, o off road se torna um ótimo hobby: saudável e prazeroso. Nos últimos anos, tem se tornado comum, por exemplo, o surgimento de equipes entre vizinhos, familiares e amigos. Alguns grupos chegam a dezenas de pessoas e carregam os nomes das cidades de onde vem.

Com as redes sociais, são marcados encontros entre as diversas equipes de várias regiões, para a confraternização e a troca de experiências. Também tem surgido novos campeonatos em níveis regionais e em categorias separadas por idade, equipamentos e níveis de habilidade. Mas o que se vê nestes pequenos campeonatos é que o principal é mesmo competir.

Mesmo com toda a estrutura profissional que em muitos lugares é montada, com apoio de patrocinadores, montagem de pistas nas dimensões profissionais e até premiações, os pilotos se mantém preocupados em se divertir e ajudar aqueles que estão começando e ainda não tem uma carreira ou um caminho bem definido como atletas.

O resultado disso é que o número de pilotos federados, inscritos em competições de nível nacional e internacional tem crescido bastante nos últimos anos. Mas, ao mesmo tempo, tem aumentado continuamente o total de pessoas comuns que só querem colocar a motoca pra rodar no pé de um morro aos finais de semana. E isso também é importante, pois demonstra que o brasileiro tem adquirido novos hábitos, mais saudáveis e sociais.

Esportes off road como realização

No começo deste artigo, dissemos que a palavra realização é a que melhor define a sensação de quem pratica esportes radicais como hobby. Ao longo do texto vimos alguns exemplos de benefícios, tanto particulares, físicos, como coletivos, sociais e ecológicos que esses esportes podem gerar ao longo do tempo.

É na junção de vários ou de todos estes fatores que se encontra a realização, seja ela pessoal ou coletiva, familiar, entre amigos e, até mesmo, de uma cidade inteira. Praticar esportes radicais era, até pouco tempo, algo caro, difícil e pouco difundido no país. Hoje, há uma profusão de times, comunidades, praticantes e entusiastas destes esportes.

Cidades onde não há uma infraestrutura completa para a realização de atividades físicas simples, como uma boa caminhada ou uma ginástica em academia vem se tornando as principais formadoras de atletas de alto nível nos esportes off road.

E, junto com eles, os adeptos e amantes da adrenalina vem descobrindo como a qualidade de vida pode melhorar bastante com a rotina recheada de velocidade, barro e muitos tombos, por que não?!

A Balasso é uma loja que nasceu com o DNA da aventura, criada por pessoas que, assim como vários brasileiros, nasceram em uma cidade do interior e descobriram, na juventude, o prazer dos esportes radicais. No final dos anos oitenta e durante a década de noventa, a paixão pelo ronco das motos levou um jovem a participar das competições mais importantes do cenário brasileiro.

E assim, o que até então era apenas um hobby, acabou se tornando também uma atividade profissional. Mas neste caso, a profissão não era a de piloto, mas sim a de oferecer para todos a oportunidade de entrar neste mundo e vivenciar as mesmas emoções que os fundadores da loja sentiram anos atrás – e sentem até hoje.

Com um vasto catálogo de produtos, equipamentos, máquinas e acessórios, a Balasso vem se tornando um ponto de referência na região centro-oeste de Minas, um lugar que é naturalmente um convite à prática do off road. Além de loja, a Balasso também conta com serviços de manutenção em motos e carros.

Desde a sua criação, em 2000, a loja une a experiência como piloto e engenheiro mecânico de Rodolfo Balasso com a expertise em comercializar as melhores marcas de cada produto. Nestes 20 anos de existência, a Balasso Motorsport já ajudou a despertar a paixão off road em milhares de crianças, jovens e adultos em toda a região de Itaúna, em Minas Gerais.

Além de encontrar os melhores equipamentos para a prática dos esportes off road, na Balasso você também terá um atendimento especializado e consultivo, indicando e orientando sobre como escolher desde a roupa até os acessórios essenciais para a sua segurança.Você pode conhecer um pouco mais sobre a Balasso clicando aqui. Aproveite para iniciar a sua aventura pelas montanhas com o apoio profissional de quem está no esporte há mais de 30 anos. Até a próxima!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *