Quanto custa uma moto de trilha?

Quanto custa uma moto de trilha?

Assim como qualquer outro esporte a motor, fazer trilha requer além do desejo, condições financeiras suficientes para cobrir o custo com moto,  sua manutenção e também, com equipamentos de proteção – para você e para ela.

Antes de qualquer coisa, precisamos pontuar: começar a praticar o off road exige um investimento além da moto de trilha.

No artigo de hoje, vamos explicar tudo o que está envolvido nesse processo e te ajudar a encontrar as melhores opções.

Se você está começando no esporte, o ideal é começar com um investimento baixo, até para que você sinta se, de fato, andar de moto na terra faz sentido para você e se você “leva jeito pra coisa”.

Atualmente, o leque de opções para quem deseja começar no motociclismo off-road é enorme. 

Para cada item, peça, ou mesmo motocicleta, há uma boa variedade de marcas e modelos que podem atender às mais diferentes necessidades e possibilidades. 

Por isso, é interessante que você encontre uma loja de qualidade, onde os profissionais estão dispostos a apresentar as alternativas mais interessantes para a sua realidade.

Dessa forma, você descobrirá quanto custa uma moto de trilha e seus acessórios, além dos equipamentos de segurança.

Quanto custa uma moto de trilha? O que avaliar?

Quanto custa uma moto de trilha? O que avaliar?

O primeiro e mais fundamental item que você precisará comprar será, claro, a motocicleta. 

Para isso, o recomendado é que você comece considerando uma moto nacional usada. 

Neste sentido, as mais recomendadas são a Honda CRF 230F e a Yamaha TT-R 230.

Uma série de aspectos deverá ser levada em conta na hora de escolher a sua moto.

Afinal, por ser um veículo que é submetido a condições severas de uso, a forma como é conservada, bem como os cuidados dispensados pelos seus antigos proprietários, contará muito quando analisarmos o seu estado de conservação. 

Por isso, não se deixe enganar pelo ano de fabricação da moto: às vezes uma moto com dois ou três anos de uso, pode estar muito mais baleada que uma com cinco, seis ou mesmo dez anos de uso, pois vai depender de como ela foi usada e cuidada ao longo de sua vida. 

Entre os principais itens que devem passar pela tua análise, você deve prestar atenção no seguinte:

Aparência geral da moto

Veja como está o visual da moto. 

Excesso de riscos, gráficos (adesivos), guarda-pó das bengalas e capas de banco rasgados são sinais preocupantes de desleixo. 

Plásticos e punhos esbranquiçados indicam que a moto ficou muito tempo no sol. 

Verifique também a condição dos pneus: se estiverem ressecados, pode ser sinal de que ficou parada por muito tempo.

Peças metálicas

Raios e outras peças metálicas com sinais de ferrugem ou sem brilho podem indicar que a moto foi judiada ou então, que foi lavada com frequência com limpa-baú, um erro grosso, afinal, hoje há produtos específicos para este fim (iremos falar sobre isso mais pra frente).

Integridade dos acessórios

Pedaleiras e manetes tortos ou faltando pedaços também indicam pouco cuidado com a manutenção.

Amassados

Ponteiras e curvas de escape amassadas mostram que a moto passou por algumas encrencas pesadas ao longo de sua história – e seus donos anteriores não tiveram muito cuidado em mantê-la em bom estado.

Parafusos

Verifique como estão as cabeças dos parafusos do motor: se estiverem muito gastas podem sinalizar que o mesmo já foi aberto – ou é aberto com frequência para reparos.

Marcas de solda

Procure por marcas de soldas na parte de baixo do motor e no quadro (principalmente na caixa de direção, no sub-quadro e junto às pedaleiras).

Manchas de óleo

Manchas de óleo na junta do cabeçote com a tampa de válvulas são preocupantes, bem como qualquer outro vazamento de óleo, seja no motor ou nas suspensões.

Rolamento das rodas

Procure checar se há folga nos rolamentos das rodas. 

Se a moto não estiver num cavalete, peça a alguém que a erga para que você veja isso. 

Cheque também se há folga na caixa de direção, apertando o freio dianteiro e deslocando a moto para frente e para trás.

Motor

Motores não podem apresentar sons metálicos durante seu funcionamento e tampouco, emitir fumaça.

Se possível, leve um mecânico de confiança para analisar a moto antes de fechar negócio.

E por fim, procure conhecer a procedência da moto: é sempre melhor você adquirir uma moto de trilha de quem você conhece e de preferência, que saiba como esta pessoa e os donos anteriores cuidavam da moto.

Esse cuidado é importante para se proteger de eventuais problemas legais, visto que tais motos não possuem documentos, apenas nota fiscal.

Preço médio de uma moto de trilha

Atualmente (setembro de 2019) uma CRF 230F zero bala sai por R$ 13.787 (*), enquanto que uma TT-R 230 está à venda por R$ 13.590 (*). 

Já um modelo usado com dez anos de história é possível ser encontrado na faixa dos R$ 6.500/7.000. 

Motos um pouco mais novas, são comercializadas na faixa dos R$ 8.500 a R$ 10.500 (estamos falando aqui de modelos 2007 a 2015, aproximadamente). 

Abaixo deste valor é muito difícil de se encontrar uma moto em bom estado. 

Se este preço ainda é salgado, você tem como opção a Honda XR 250 Tornado, que vai se situar entre os R$ 4.500 e os R$ 6.000, para motos fabricadas entre 2004 e 2007, às vezes até 2008. 

Outra possibilidade é a Honda XR 200, com preços na faixa dos R$ 3.000 a 4.500, variando entre os anos de 1998 e 2002 – as mais conservadas podem extrapolar este valor em função de seu estado, mas fique esperto: estas duas últimas motos (Tornado e XR 200) por se tratarem de motos de rua adaptadas para a trilha, devem estar com a documentação em dia. 

Do contrário, é por sua conta e risco.

Já as motos específicas para a prática do off-road (caso da CRF 230F e da TT-R 230) não possuem documentação, uma vez que não devem ser emplacadas, de acordo com o CTB (Código de Trânsito Brasileiro) por tratarem-se de motos exclusivas para competição.

Daí pra baixo o risco é muito grande. Sim, se você for garimpeiro, é possível encontrar raridades como uma DT 180 ou mesmo uma 200 (ou 200R) íntegras que ainda têm o que oferecer na trilha, mas, na boa: é muito difícil e quem tem uma motinha dessas hoje, dificilmente a vende por preço de banana, justamente por conta de sua conservação e valor histórico. 

Portanto, nem perca o seu tempo e fuja de roubadas, afinal, você sabe: moto zuada são duas alegrias: quando você a compra e quando consegue passar pra frente.

(*) Preço Público Sugerido pelos fabricantes, válido para São Paulo. Não inclui frete e seguro.

Não se esqueça dos itens de proteção

Não se esqueça dos itens de proteção

Certamente você sabe da importância de pilotar equipado, independentemente de fazer isso na rua ou na terra. 

Embora esta recomendação tenha se tornado muito muito disseminada nos últimos anos no meio das duas rodas, ainda há quem não dê muita atenção para sua segurança, seja no asfalto, seja na terra. 

Tais pessoas costumam achar que o valor a ser investido em equipamentos é muito alto e preferem pilotar usando produtos de origem duvidosa ou inadequados para a proposta.

Uma bota estilo coturno pode ser recomendada para ser usada por um motociclista que ande na cidade ou mesmo para quem vai pegar uma estrada (em caso de motos de baixa cilindrada) mas jamais, sob nenhuma hipótese, por quem vai para uma trilha. 

Neste ambiente, as condições do terreno são muito adversas e apresentam pedras, tocos de árvore e outros obstáculos que podem facilmente causar um belo de um estrago em um pé que não esteja devidamente protegido por uma bota específica para off-road.

Portanto, se você já investiu alguns milhares de reais na sua moto, é bom ter guardado mais alguns para a compra de equipamentos de proteção confiáveis. 

Caso queira, existe também a opção de recorrer ao mercado de usados e para ajudá-lo a gente escreveu este artigo. 

Os indispensáveis são:

  • Calça, camisa e luvas;
  • Capacete e óculos (goggle);
  • Meião e botas de couro próprias para off-road;
  • Cinta abdominal;
  • Joelheira 
  • Cotoveleira

Proteção extra

Proteção extra

O mercado ainda oferece a possibilidade de você contar com proteção extra para seus joelhos e pescoço: joelheiras articuladas (knee braces) e protetores de pescoço (neck braces) são equipamentos desenvolvidos com alta tecnologia e promovem um elevado grau de proteção a essas partes tão importantes e até mesmo vitais de nosso corpo. 

Sim, custam caro, mas caso possa, não hesite em realizar este investimento, afinal, quanto vale o seu joelho? 

E a sua coluna?

Colete

Colete

Só quem já levou uma pedrada no peito, vinda do pneu de uma 450 furiosa à sua frente, sabe o quão importante é usar um colete, sem contar que ele também irá oferecer proteção aos ombros em caso de quedas.

Mochila de hidratação

Mochila de hidratação

Também é muito recomendado a quem irá fazer trilha que carregue uma mochila de hidratação. 

Fabricadas com materiais isolantes térmicos, deixam a água fresquinha em seu interior durante bastante tempo e podem ser carregadas com até 3 litros – sem contar que muitas ainda oferecem compartimentos para você carregar ferramentas, barras e géis energéticos, documentos, celulares, entre outros objetos.

Pochete de ferramentas

Pochete de ferramentas

Ainda que você faça a correta manutenção da sua moto é sempre importante ter na cintura uma pochete com as ferramentas básicas que sua motocicleta requer, além de outros itens, como tied ups (enforca-gato), câmara de ar, bomba, alicate, arame, silver tape, emenda de corrente e manete reserva. 

Uma corda presa em algum lugar da moto sempre é bom para tirar você de um sufoco.

Proteção para a moto

Proteção para a moto

É claro que a sua parceira também vai precisar de cuidados adicionais para protegê-la das agressões que a trilha vai trazer e para isso, escrevemos um conteúdo que vai ajudá-lo a deixá-la prontinha para qualquer desafio.

Custos extra: manutenção da moto

Custos extra: manutenção da moto

Se uma moto de rua já requer manutenção, imagine uma moto de trilha, que é muito mais judiada e exigida? 

Para começar, o filtro de ar precisará ser limpo a cada trilha para preservar o motor de ser invadido por sujeira.

Além disso, você vai precisar trocar com intervalos bem menores que em uma moto de rua itens de reposição básica, como: relação, pastilhas e lonas de freio, pneus e embreagem. 

Manutenções periódicas nas suspensões (principalmente na dianteira) também são necessárias para a substituição do fluido, bem como checagem e eventuais apertos de parafusos e raios, além de trocas de cabos e rolamentos.

Por fim, é sempre bom checar com um mecânico sempre que aparecer algum barulho diferente em sua moto, bem como se notar que ela está com um comportamento diferente quanto às respostas que entrega na pilotagem.

Tabela custos básicos de mão de obra (não inclusos valores das peças) (**)

ServiçosValores
Troca de pastilhas/lonas de freioR$100
Troca de rolamentosR$100
Troca de cabos e fluido de freio: R$120
Troca embreagemR$250
Troca de relaçãoR$120
Abertura e fechamento de motor + retíficaR$1.500,00

(**) Valores apurados em 18/9/2019 – RM Racing (SP)

Portanto, quanto custa praticar o offroad?

Como vimos, além do custo referente à moto de trilha, temos também custos com equipamentos para a moto, acessórios de segurança e, claro, revisões e ajustes que precisarão ser realizados de acordo com o uso e necessidade do veículo.

O off road não é um esporte barato, mas é uma das crescentes entre os esportes a motor e está ganhando cada vez mais adeptos, dados seus benefícios para a vida e bem-estar de seus praticantes.

Tudo tem seu preço, mas entre todas as demais modalidades de esporte a motor, sem dúvida, fazer trilha é o mais acessível – e um dos mais divertidos!

E vale lembrar: tudo o que você precisar para proteger você e sua moto, você encontra aqui na Balasso Motorsports.

Tem alguma dúvida? Quer saber mais sobre as motos, equipamentos e acessórios? Entre em contato conosco!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *